A Língua da Fê


Eu me atrevo, e com o melhor do atrevimento, a falar da língua crônica de Dona Editora Chefa, mesmo sem ter lido nada mais que a primeira tacada da moça. Gente, o que é isso?

Essa mulher de dragão com ascendente em serpente tem que chegar assim, desbancando a literatura quieta que a gente deixa para as tardes de domingos e feriados? Eu hein? Tanta coisa me esperando e Dona Fê me atravessa com essas frases de gosto tão encorpado! Faz isso não, menina!! Agora, tô aqui, precisando e não querendo me despregar dessa leitura imantada. Não consigo. Não consigo!!!

Minas, lânguida e cheia das águas doces, não carece mais da querência de ler Fernanda Aragão. Leitura nobre, chegou sem bater, entrou sem pedir... Instalada na cabeceira da cama, no tapete da sala...Vai ser assim, por uns dias: inundada das palavras. Vou querer inflamar e que dure...



5 comentários:

  1. Joca disse...:

    O livro "Mulheres do Cangaço", do pesquisador Antonio Amaury C. Araújo me veio à mente no momento em que li essa fulminante intervenção de minha nobre comadre Iara Fernandes: pois que no texto do Amaury, as "cangaceiras" eram mais que simplesmente companheiras dos valentes cabras das caatingas: naqueles idos tempos em que as consquistas femininas engatinhavam e que as damas da sociedade só abriam a boca para dizer "sim", as "cangaceiras" desafiavam a ordem e de fato iam à luta, encarando as durezas de todo tipo. o livro da Fê e o post da Iara são bem isso: desafiadores! Impõe uma marca, ombreiam irriquietas, rasgam véus sem abrir mão de um retoque no batom!
    parabéns às duas, a escritora primiada Editora Chefa Fernanda e comadre Iara Fernandes, também escritora e de primeiro naipe, de quem aguardamos logo e logo seu livro!
    Nosso ser-tão se orgulha de suas valentes, chamosas e talentosas mulheres: Fernanda, Kátya,Marisa Viana, Graziela, Iara, todas!

  1. Iara, flor! Mas eu vou é a-go-ra saber de tudo que se trata.
    Sabe que a primeira de sua letra já é caminho pra mim, né?
    Um abraço enorme!
    Ah! O darei em dezembro!
    kika.

  1. Iara disse...:

    Êh, Compadre Joca e povo do Sertão! Essa menina Kika que aqui deu o ar da graça, é pedra mais que preciosa aqui do Beraba. A garota tem uma verve que cês nem querdita! Cangaceira da palavra, isso é o que Kika é. Vê lá, sô!! O blog dela cata a gente pelo braço e não larga, não!!!!!

    Menina Kika, dezembro tem que ser, tem que ser uma mesa de boteco, umas ideias juntando a gente. tem que ser... Beijos, menina!!!!

  1. Joca disse...:

    Comadre Iara, Rainha das Águas e das Montanhas Alterosas:
    Informe-nos o blog da Menina Kika, pr'gente dar uma óiada e se besuntá de boa prosa, que, isso é que é o Caminho da Salvação: pela Palavra!
    Ave-Verbo, Ave-Palavra!
    Beijocas!

  1. Iara disse...:

    http://porcarolinacaetano.blogspot.com/
    Vai lá, Compadre, que versos como o dessa matutinha aí, num tem mais por esse sertão da Farinha Podre, nem nas águas de São Sebastião, que é onde a dita cuja escolheu expandir sua veia!

    Beijos mineiros, fagueiros!

Postar um comentário

 
Ser-Tão Paulistano Copyright © 2010 - 2011 Template Oficial Versão 2 | Desenvolvido por Iago Melanias.