ELOGIO A SAMPA NOS SEUS 462 ANINHOS

Uma característica a se deplorar no nosso país é o pouco apego à tradição histórica. E isso não se deve a uma preferência pelo novo ou pelo futuro: é puro oportunismo, aproveitar o momento para usufruir o máximo de lucro. A Avenida Paulista, seus casarões remanescentes, edifícios modernos de estilo confuso. É como se a cidade a cada instante (histórico) fosse destruída e reconstruída.

No entanto, São Paulo resiste e insiste em ter uma história. E sua história se revela em cada esquina, em cada beco, em cada bairro. Sinais aparentemente imperceptíveis que revelam toda a sua trajetória, permanecem, visíveis somente ao observador atento:

Mosáico
Diverso
Múltiplo:
Os
sotaques revelam
desvendam:
os
campos
as
vilas
as
diversas nuances
decolores.
Caos que
Brota dos
Contrários
E das
Ambigüidades
Que nos berços
Recônditos de
Cada cidadão adormece:
O branco, o negro, o índio, o gringo, o turco
De cada um
Renasce nas
Placas das ruas dos parques,
nos salões, nos terreiros:
Vila dos ingleses, Humaitá, Av Nordestina,
Ibirapuera, Tatuapé, Tamanduateí, Monte Líbano, Clube Croatia,
Helvetia, Clube Sírio
Moto perpétuo
Não pode, não quer e não pára:
Por suas ruas de múltiplas mãos
Navega o provinciano e o cosmopolita
O moderno, o arcaico.
A carroça, a limusine, o metrô.



0 comentários:

Postar um comentário

 
Ser-Tão Paulistano Copyright © 2010 - 2011 Template Oficial Versão 2 | Desenvolvido por Iago Melanias.