Viagem (e que a nossa emoção sobreviva)

O long playng é do ano de um mil novecentos e setenta e dois e, dos tempos que os LPs tinham nome, chama-se Viagem e a cantora é a Marisa que depois ficou conhecida como Marisa Gata Mansa (ao ouvi-la cantando de imediato a relação da sua voz e o bichano). Décadas de procura recentemente encerradas em um sebo do ser tão paulistano. Bem conservado, sem "riscos, chiados e enroscos", a capa inteirinha.
Viagem é uma das primeiras letras do maior letrista brasileiro atual Paulo Cesar Pinheiro, foi um enorme sucesso, musica de João de Aquino, e as radios tocavam muito.
A nossa Editora Chefe,graças à flechada mortal de Cupido está nos últimos dias apenas como Editora, diz que publicação de letras "foge á idéia". A letra merece ser conhecida, infelizmente ouvir a musica é dificil. Creio que a Fernanda vai concordar, até porque foi em viagens pelos campos que São José intercedeu junto a Santo Antonio.

Pode ser uma homenagem, uma lembrança dos tempos que havia Musica e também havia Letra. Hoje ainda há "muita gente boa fazendo coisa muito boa"e é só questão de procurar. Valter Franco já cantou "tudo é questão de manter a mente aberta, a espinha ereta e o coração tranquilo".


Oh, tristeza me desculpe,
Estou de malas prontas,
Hoje a poesia veio ao meu encontro,
Já raiou o dia, vamos viajar !
Vamos indo de carona,
Na garupa leve do vento macio,
Que vem caminhando,
Desde muito longe, lá do fim do mar,
Vamos visitar a estrela da manhã raiada,
Que pensei, perdida pela madrugada,
Mas que vai escondida,
Querendo brincar,
Senta nessa nuvem clara,
Minha poesia, anda, se prepara,
Traz uma cantiga,
Vamos espalhando música no ar,
Olha quantas aves brancas,
Minha poesia, dançam nossa valsa,
Pelo céu, que o dia,
Fez todo bordado de raios de sol,
Oh, poesia, me ajude.
Vou colher avencas,
Lírios, rosas, dálias,
Pelos campos verdes,
Que você batiza,
De Jardins do Céu.
Mas, pode ficar tranqüila,
Minha Poesia,
Pois nós voltaremos,
Numa Estrela-Guia,
Num Clarão de Lua,
Quando serenar...
Ou, talvez até, quem sabe
Nos só voltaremos,
Num cavalo baio,
No Alazão da Noite,
Cujo nome é Raio - Raio de Luar



6 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Zé, em 1984 comprei com meu primeiro dinheiro VELÔ e foi uma experiência genial. Aquele envelope trazia um mundo inteiro e mais duas canções que me permitiram a beleza e a filosofia procurada, O QUERERES e LÍNGUA essa última, trazendo o canto rascante de Elza Soares que não fosse o convite de Caetano deixaria a música.Trazia também uma bela capa em afinado dueto com o titulo, indicando velocidade.Com aqueles lançamentos na minha adolescencia CORES NOMES 1982, UNS 1983 e VELÔ... Caetano foi base.Espero que sempre haja um sebo, uma loja no plano físico para nos proporcionar este prazer tátil. E por aqui, no Ser-tão, a emoção é vitalicia. Obrigada pelo incentivo aos comentários, grande abraço.
    Cleide /Recife
    PS. Paulo Cesar Pinheiro precisa ser tombado, patrimonio de muito valor, escreve sobretudo a história desse país.

  1. José Maria disse...:

    Cleide !! dou o maior valor prá tudo que é bom, independente de seja lá o que for. Brinco com a minha amiga Cláudia que passei por Woodstock, que foi o festival de Águas Claras, o nosso wood caipira. As referências, no caso dos lps, são as mais poderosas e ai o que fazer?. Só o Joca pode responder. Beijos

  1. PARISOTTIM disse...:

    Zé, tá difícil mesmo, hoje, encontrar uma letra que mereça ser chamada de poesia. Será que éramos mais criativos e emocionais nas décadas anteriores?
    Que belo resgate esse seu. Que vivam os lps com seus chiados e tudo

  1. Anônimo disse...:

    Ei Zé! Então conheço gente que foi no Festival de Águas Claras. Outro amigo, daqueles que adoram ir ao chamado boteco "pé sujo" (será que deu origem ao Sujinho's Bar?) me garante que foi um dos que estiveram em Arembepe, em 1972, marco inicial da cultura ocidental, onde se reuniu num mesmo terreiro Waly Salomão, Novos Baianos, Gil, Paulo Leminsky, O Peninha (Eduardo Bueno), Pepeu, Caetano, etc.
    O LP jamais será vencido e pelo jeito vou desistir de me desfazer de uma boa parte de alguns que tenho lá...
    Ah, mas tem gente boa e nova no pedaço, sim! temos de procurar com Lupa, ir ao Bar do Frango. Ouvir katchere, a dani. A MPB ainda é uma "vela aberta", como bem diria Walter Franco!
    Abraços!

  1. Anônimo disse...:

    Ei! Essa máquina tá me sacaneando: não sou anônimo, sou o JOCA, da Ordem Cangaceiristica Coruscante e Lampeonica.
    Joca, que o famoso Zé mangabeira diz que é Prinspe!

  1. Joca disse...:

    ..não tem jeito: o raio dessa máquina inisite em que sou "anônimo"! Como pode: um Prinspe legítimo da Ordem Coruscante e Lampeonica ser chamado "anônimo"....

Postar um comentário

 
Ser-Tão Paulistano Copyright © 2010 - 2011 Template Oficial Versão 2 | Desenvolvido por Iago Melanias.