Voa Viola - Chamada Geral

Chamada geral para o Voa Viola

Festival nacional convoca violeiros e pesquisadores a participarem de mapeamento sobre o uso do instrumento no país

Luiz Fernando Vieira
Da Redação

A viola é um instrumento de corda de origem árabe, mas é bem conhecida no Brasil por conta da herança portuguesa - pelo menos um século antes das caravelas lusitanas aportarem por estas terras, o instrumento já era conhecido pelos povos ibéricos. O interessante é que os brasileiros adotaram de tal maneira o instrumento que em cada região ele desenvolveu características diferentes, tanto de formato como de maneira de tocar. Agora, o Voa Viola - Festival Nacional de Viola quer registrar como está seu uso no Brasil e convoca os violeiros e pesquisadores a participarem de um grande levantamento.

Lançado no dia 24 de junho e com a curadoria dos violeiros Roberto Corrêa e Paulo Freire, o projeto (patrocinado pela Caixa Econômica Federal) é o primeiro edital público lançado para mapear o atual momento da viola no país. Entre os objetivos, está promover novos talentos e fomentar o mercado violeiro, valorizar a viola como instrumento brasileiro, estimular e difundir o uso deste em diversos gêneros musicais e expandir o seu público para além do caráter regional. Os trabalhos inscritos devem utilizar a viola em sua expressão, seja ela caipira, de cocho, nordestina, de fandango, machete, de buriti, nas suas várias afinações.

A primeira grande ação foi o lançamento do portal www.voaviola.com.br. Por meio dele, os instrumentistas têm todas as informações sobre o projeto e podem fazer inscrição - há ainda a possibilidade de fazer a inscrição por via postal - até o prazo limite de 16 de agosto. Uma comissão de seleção escolherá 24 trabalhos que representem o atual panorama da viola no país. A próxima etapa será decidida em voto popular por meio do portal do projeto. Do total, o público escolherá 12 artistas para dividir o palco com músicos consagrados em shows em Belo Horizonte, Brasília, Recife e São Paulo.

No processo de votação, o público também decidirá os artistas que irão se apresentar em cada uma das cidades. A comissão de seleção premiará, ainda, cinco trabalhos com menções honrosas nas categorias tradição, inovação, dupla, instrumental e canção, contemplando e valorizando a diversidade das expressões com o instrumento. Além de shows, o projeto realizará um seminário em Belo Horizonte, intitulado "Vertentes da Viola no Brasil: tradição e inovação".

Vale ressaltar que a curadoria é feita por grandes conhecedores da viola. Roberto Corrêa e Paulo Freire iniciaram suas histórias com a viola no mesmo ano, 1977. Buscaram, então, aprimorar seu desenvolvimento artístico e musical junto aos mestres populares de um instrumento cujo conhecimento estava fora dos livros e conservatórios. Em trajetórias independentes, Roberto e Paulo expandiram as fronteiras para o instrumento, gravaram CDs, lançaram livros e levaram a viola para salas de concertos de todo o mundo, contribuindo para a construção de um novo cenário do instrumento.

Roberto é velho conhecido dos mato-grossenses, pois já fez inúmeras apresentações, além de pesquisas na região. Ele também já se apresentou com a Orquestra do Estado de Mato Grosso para mostrar repertórios que destacavam a Viola de Cocho. É dele a Viola Corrêa Produções Artísticas, responsável pela realização do Voa Viola. A instituição foi criada em 1983 com o propósito de divulgar e difundir a viola através de projetos artísticos e didáticos. Com este intuito, lançou os primeiros livros sobre viola publicados no Brasil, Viola Caipira (1983) e A Arte de Pontear Viola, em 2000, este último com o método completo para o ensino e aprendizagem do instrumento.

Fórum - No site do projeto há um espaço em que os músicos poderão interagir, o Perfil Violeiro. Ali, eles podem criar perfis e divulgar músicas, fotos, textos, links e contatos. O site do projeto funciona como um portal de informações históricas sobre a viola, com textos assinados pelos curadores e fóruns de discussão onde o internauta pode ouvir e ver o que está sendo produzido com o instrumento no país. O portal serve também como uma rede social que estimula o relacionamento entre violeiros, músicos, compositores e interessados.

A viola - Ligada, em suas origens, à cultura árabe, a viola já era largamente difundida em Portugal no século XV. Alguns relatos da época revelam que era considerada o principal instrumento dos jograis populares e cantares trovadorescos. A viola chegou ao Brasil no início da colonização, trazida por colonos e jesuítas portugueses. Seu uso, juntamente com as tradições musicais do povo português, foi adentrando o país a partir do litoral e se espalhando por todas as regiões. No Brasil, o instrumento praticamente manteve sua estrutura básica, porém, as condições e características do interior do país propiciaram, embora casualmente, o surgimento de outros tipos de violas como a viola de buriti, a viola de cocho, a viola de cabaça e a viola de bambu.

Existem algumas características essenciais que fazem da viola um instrumento único. A disposição das cordas é uma delas. Embora haja inúmeras variações no encordoamento da viola, em geral ele é feito em cinco ordens, ou conjuntos de cordas. Essas ordens podem ser de cordas simples, duplas ou triplas. Comparada ao violão, a viola é normalmente menor no que diz respeito tanto a sua caixa de ressonância quanto ao tamanho de sua escala. Mesmo assim, não é possível estabelecer, com exatidão, tamanhos-padrões para a viola. A única certeza é a de que o instrumento está intimamente ligado à cultura brasileira, ao ponto de o Brasil ser considerado hoje uma das principais referências mundiais na utilização da viola. (Com assessoria)



0 comentários:

Postar um comentário

 
Ser-Tão Paulistano Copyright © 2010 - 2011 Template Oficial Versão 2 | Desenvolvido por Iago Melanias.