Silêncio (incompleto)

Silêncio!

Preciso renovar meu silêncio
Pois já me virou hábito
Grandes romances urbanos
No úmido das madrugadas

Já me virou hábito Moacyr Scliar
Índigo e Andréa Del Fuego
Preciso renovar meu silêncio
Trocar Chico, Vinícius e Florbela

Outros sons, outras letras
Outras bandas, outros cantos
Para renovar meu silêncio
No sertão de minha alma

Preciso renovar meu silêncio
Pois já me virou hábito
O som úmido e arranhado
Das coisas da cidade

Fernanda de Aragão, 25 de maio de 2007



6 comentários:

  1. José Maria disse...:

    Fernanda, renovar sempre, desde que você não "nos renove". Beijos,

  1. Carlos Henrique disse...:

    Você tem o dom. parabens

  1. Uai Zé, como dizem por ai, cada um renova por si... quer dizer, quem me dera que meus romances das madrugadas não fossem só de papel, devorados página por página, num salgado movimento de silêncio. Eu quero logo trocar Tom Jobim por Paula Lima. Sei lá, e se depois eu voltar pra Tom Jobim, não tem problema também não.

    Valeu Catito!

    Beijos

  1. Joana disse...:

    É! Você tem realmente o dom! :)
    Muito bom!

    Beijos.

  1. Anna disse...:

    É, Fer, está bonito, mas me parece incompleto mesmo. Mas bem lhe digo que eu também preciso renovar meu silêncio, trocar os sons da cidade. Aliás, ótima esta sua metáfora. Beijo.

  1. Pois é, Anninha, até as rimas ficaram de fora desta vez, como se o silêncio até nisso se fizesse presente, no corte de um fim sem fim, dando uma sensação de que sempre é preciso renovar o silêncio. Vixe, filosofei agora!

    :)

Postar um comentário

 
Ser-Tão Paulistano Copyright © 2010 - 2011 Template Oficial Versão 2 | Desenvolvido por Iago Melanias.